fracassos no infinitivo

Ill in Paris - Lucian Freud

por que estou fazendo isso? Fracasso em
manter o meu trabalho em ordem para que
eu possa encontrar as coisas
pintar a minha casa
conseguir dinheiro suficiente para eu viver
reorganizar a casa para que eu
consiga pintar a casa &
encontrar as coisas e
conseguir dinheiro suficiente
para fazer livros
ter tempo
para responder a correspondência & os telefonemas
limpar as janelas
tornar a cozinha melhor para o trabalho
ter dinheiro para comprar um rádio comum
para escutar enquanto trabalho na cozinha
saber o suficiente para fazer o trabalho de adulto no mundo
transcender a minha atitude
em relação a uma pobreza imposta
esperar que os meus cheques
cheguem na hora certa por correio
não esperar sempre que não chegarão
esquecer as atitudes da minha mãe sobre a humildade ou
continuar assumindo-as sem sofrer
esquecer como minha mãe azucrinava meu pai
sobre dinheiro, e minha irmã não posso revelar
fracasso em esquecer a mãe e o pai o suficiente
para crescer, em esquecê-los
esquecer meu tio obsessivo
lembrar deles de outro jeito
lembrar seu preconceito com precisão
parar de sonhar sobre leões que é o mesmo
que sonhar com les, eu pus a minha mão dentro da boca do leão
amenizar sua raiva, isso não é um fracasso
perceber que era assim que estavam; fracasso
em transplantar as flores
ser organizada
criar & preservar as superfícies limpas
deixar o sofá ou a cadeira ser lugares onde possamos nos sentar
em vez de mesas
der a mesa ser um lugar para comer & não uma escrivaninha
ouvir mais música popular
aprender as letras das músicas
não precisar de dinheiro
para que eu possa escrever o tempo todo
não precisar pagar o aluguel ou as contas de telefone
esquecer as mortes prematuras dos pais do tio
ficar livre da expectativa de ser cuidada; fracasso
em amar os objetos
de achar que eles são valiosos de algum jeito; fracasso
em preservar os objetos
comprá-los e agora deixá-los de laod; fracasso
em pensar nos poemas como objetos
pensar no corpo como um objeto; fracasso
em acreditar; fracasso
em não saber nada; fracasso
em saber tudo; fracasso
em lembrar como se escreve fracasso; fracasso
em acreditar no dicionário & que há qualquer coisa
a ser ensinada; fracasso
em ensinar direito; fracasso
em acreditar no ensino
pensar que todo mundo já sabe tudo
que não é meu fracasso; eu sei que todo mundo sabe; fracasso
em ver que nem todo mundo acredita nesse tipo de saber e
pensar que não podemos durar até alçarmos o conhecimento
lavar a louça, só leva dez minutos
escrever mil poemas em uma hora
escrever um épico, abrir a janela imunda
permitir você sabe quem chegar e
afastar os pensamentos e poemas das preocupações
apenas nos assegurar que vamos fazer isso
pintar os seus tetos & paredes de graça


poema de Bernadette Mayer
(Bernadette Mayer Reader, 1968 - traduzido por Luiza Leite)

2 comentários

  1. nessa história de vida adulta às vezes tudo o que grita são os fracassos (ou o que pensamos ser) e nosso medo diante da falta de soluções imediatas. às vezes cansa, às vezes dói, e em outras só resta empurrar pra debaixo do tapete e respirar por ora.

    eu achei o poema incrível ♥

    ResponderExcluir
  2. Mano muito lindo o desenho que acompanha o poema! O poema também, achei que fosse seu enquanto lia. Vou procurar mais sobre a autora. Li os últimos posts e fiquei feliz em ser um leitor vip agora, gosto muito dos teus escritos. É nóis! Tudo de bom procê, até a próxima!

    ResponderExcluir