039: notas do último mês


dezembro

eu queria me apaixonar e ficar com a boca doendo de tanto rir

penso muito em quando J percebeu e falou em voz alta que eles gostam dela porque
é engraçada e não por usar sutiã com enchimento e em como eu sempre

penso muito em quando P me disse que as plantas não são frágeis e passam por
coisas bem piores que dias sem água e dedos sujos

penso muito em como eu ando pensando muito e quando pensei em como esperança vem de esperar

eu queria que ele (não sei quem) me amasse gradualmente (e vice-versa) até
que a gente se amasse por anos (juntos)

sinto como se tivesse sido atropelada e ao invés de morrer ou descansar no hospital,
continuasse presa a roda imensa do trator girando e girando e girando

sou a mais feia do Brasil a mais feia do mundo

as dondocas do moinhos não saem de casa suadas

algumas palavras me irritam, me dão nó na boca

o teor gordurento e vitamínico que cada um dá para as coisas e que jamais
poderão ser igualmente compreendidas

adoro quando se referem a mim ou contam algo de conversas atrás,
me sinto muito almost famous wheres my penny lanes

sonhei que via ***, desviava o olhar porque no fundo não nos conhecemos e ele vinha falar comigo e abraçar como se nos conhecessemos e perguntar porque eu fiz perguntas anônimas intensas enquanto eu negava tudo e ansiava pelas nossas mãos se encontrarem

queria ser as 3 panteras

mesmo que no fundo eu não queira chorar porque dói, no raso talvez e punjentemente
eu precisasse ficar tão triste a ponto de chorar de doer

just chicks being gals

moral questionável com convicção

síndrome de final de ano

amo meus amigos capital instituto de artes e os poucos amigos
da cidade que me expurgou e agora aceita de mansinho minha invisível presença

sentimentos e emoções trancadas no quarto

da uva vem o vinho do samba vem o carinho saudade nunca é demais

ele só fala a verdade e a verdade dói

queria a plenos pulmões gritar que amo muito

o diabo está varrendo e martelando

faz parte do meu processo criativo a não organização, o caos instaurado e o fazer sem pensar

oh como eu queria desejar assim plim aí plaw

vou fechar os olhos e abrir só e somente só no dia 10 de janeiro, quando as coisas
já deixaram o frescor de novo e é aniversário de Miguel

4 comentários

  1. "sinto como se tivesse sido atropelada e ao invés de morrer ou descansar no hospital,
    continuasse presa a roda imensa do trator girando e girando e girando" porra gabes, isso me pegou em cheio bem aqui dentro.

    ResponderExcluir
  2. Pôh brow, sei como é realmente é um sentimento compartilhado, gosto muito de te ler!

    ResponderExcluir
  3. Amo textos assim! Por mais que sejam experiências muito pessoais e diferentes entre si, consigo me identificar com várias delas. Não sei se elas batem em mim da mesma intensidade e da mesma forma que bateram em você, mas senti esse reconhecimento, sabe? Meio "olha ali uma mulher que pensa umas bagunças que nem as que eu penso!"

    ResponderExcluir